Skip to main content
como-ser-autonomo

Dicas para quem está pensando em se tornar autônomo

Hoje em dia, estão surgindo cada vez mais profissionais autônomos que pensam em abrir o seu próprio negócio. Essa decisão demanda muita força de vontade, análise cuidadosa e, principalmente, foco para correr atrás dos seus sonhos, sem deixar que o plano de negócios ou os riscos assustarem você.

Além de toda a energia e paixão que fazem uma empresa funcionar, também é necessário entender um pouco sobre economia, administração e a realidade de quem é empreendedor. Separamos algumas dicas para quem está pensando em fazer essa mudança na carreira, explorar novas possibilidades e até transformar um hobby em fonte de renda. Olha só:

A hora certa não existe

Esperar demais pode ser apenas um empecilho que você mesmo está colocando no seu projeto. Se você possui capital, força de vontade, apoio e já pensou nos prós, contras ou precauções necessárias, comece a lapidar a proposta e vá abrindo o negócio aos poucos (começando com trabalhos freelancer ou para clientes específicos). Nada de ficar esperando pelo momento ideal ou que sua empresa deslanche do dia para a noite.

Tenha disciplina

Ser o seu próprio chefe também exige uma rotina e bastante disciplina para terminar o trabalho no prazo, entregar produtos e conseguir clientes. Crie processos, se policie em relação ao horário e busque alternativas para otimizar o tempo. Lembre-se que sua empresa ainda não é tão conhecida e você vai precisar ir em busca de clientes, então reserve um tempo do seu dia para prospectar novos compradores ou agendar reuniões.

Desenvolva um Plano de Negócios

O plano de negócio é essencial para você entender o seu público, mercado, concorrência e estabelecer onde e como vai atuar, além de poder definir a receita e o capital de giro da sua empresa. O Plano de Negócios define desde os valores da sua marca até a maneira de conversar com o cliente, ajudando a construir uma imagem forte e posicionar seu negócio de um jeito profissional.

Cuide das finanças

É normal confundir as contas profissionais e pessoais ou não ter muito controle sobre os lucros, gastos e finanças da empresa, principalmente no começo. Contudo, esse erro deve ser evitado e, logo no início, você precisa montar um livro caixa, estabelecer metas e ter a ajuda de um contador, para não se afogar em dívidas ou acabar fechando as portas.

Ahh, a nossa dica é que você sempre use boleto bancário para organizar as suas finanças 😉

Cuidado com cálculos imprecisos

Quem começa a trabalhar como autônomo pode acabar levando em consideração dinheiro que está no plano de promessas (ou seja, um valor que ainda não entrou no caixa da empresa) ou cometer alguns erros na sua gestão fiscal. Fique atento a isso e consulte sempre o seu contador.

Ofereça sempre um bom serviço

Em empresas pequenas, o atendimento e a experiência são tão importantes quanto em marcas renomadas do mercado. Se esforçar para garantir a satisfação do cliente é fundamental para você ganhar destaque no mercado e aumentar as vendas ou demandas.

Aprenda a lidar com as pessoas

Ao empreender, você vai precisar conversar com diferentes tipos de pessoas: fornecedores, outros empreendedores, funcionários ou com o seu consumidor final. Tenha em mente que um bom atendimento, educação e respeito são fundamentais para lidar com todo o tipo de situação e, mesmo que o cliente seja inadimplente ou você precise resolver um problema, aposte no diálogo e evite discussões desnecessárias.

Saiba a hora de terceirizar

Um autônomo acaba aprendendo um pouco de tudo, mas é preciso reconhecer em quais momentos é melhor terceirizar serviços – e como fazer isso. Pode ser um designer para criar a identidade visual da empresa ou alguém que entende de informática e pode agregar muito ao seu negócio.

Estude a sua própria empresa

Ter um negócio próprio exige esforço 24 horas por dia! É fundamental que você crie e estude os seus processos de produção, faça análises aprofundadas sobre o que acontece no seu trabalho e entenda os feedbacks de clientes para poder crescer.

Seja inquieto!

Quem é autônomo deve pensar sempre em inovação e ter vontade de colocar projetos para funcionar. Dificuldades e riscos existem, mas se você encara isso como desafios que vão ajudar a empresa, sua motivação continua alta e você consegue tirar o melhor de cada situação.

Já está colocando sua ideia de negócio em prática? Compartilhe com a gente suas experiências como autônomo!

Pesquisar

Custom Search
thinkstockphotos-509682799a

7 dicas para você se tornar um milionário em apenas 1 ano

Ganhar o primeiro milhão é um sonho de muita gente. O valor não é gigante, vale dizer. Não é o suficiente, por exemplo, para que alguém pare de trabalhar. No entanto, conquistar esse montante faz com que o detentor desse montante conquiste uma marca muito importante. Tornar-se um milionário é um degrau importante rumo a voos mais altos.

Alguns empreendedores, aliás, conquistaram seu primeiro milhão em um prazo relativamente curto: um ano. Uma reportagem publicada no site da revista “Inc.” compilou o depoimento de pessoas que atingiram essa meta em 365 dias. Ou até menos. No texto, elas listaram os fatores que foram cruciais para chegar a esse resultado:

1. Ame seus clientes
Por Tim Nguyen, cofundador da BeSmartee
“Todas as suas ações devem estar focadas nos seus clientes. Ao pensar em qualquer coisa na sua empresa, pense no impacto que tal mudança traria aos consumidores. Não se preocupe tanto com as vendas e definitivamente não foque no dinheiro. Concentre-se nos clientes.”

2. Faça bons contatos
Por Margot Micallef, fundadora da Gabriella’s Kitchen
“Uma boa e sólida fundação inclui uma rede de contatos, bem como amizades com investidores. Todas as situações que me trouxeram um grande retorno tiveram origem em uma relação construída anos antes.”

3. Tenha valores. E paixão
Por Steve Starr, da StarrDesign
“Sua empresa tem que ter personalidade. Tem que ter processos e relações com clientes e funcionários que sejam únicos. Em qualquer negócio, é essencial definir o que inspira você e seus colaboradores e jamais se afastar desses valores. Também é importante ter paixão. E apegar-se a ela é vital para o sucesso.”

4. Aperfeiçoe seu produto
Por Simon Slade, CEO da Affilorama
“Meu melhor conselho para quem quer se tornar um milionário é criar um produto incrível e continuar aperfeiçoando-o sempre. Também acredito que é importante usar uma métrica – apenas uma – para ver seu avanço. Faça o possível e o impossível para crescer, pelo menos de acordo com o critério que você escolheu.”

5. Saiba lidar com pessoas
Por Ted Leonhardt, especialista em gestão
“Para conseguir me tornar um milionário em um ano, eu priorizei o entendimento das minhas relações com todas as pessoas que eram, direta ou indiretamente, ligadas à minha empresa, como funcionários, clientes e fornecedores. Entenda todas as preocupações de todos eles e proponha soluções para acabar com essas aflições. Assim, seu caminho ficará mais fácil.”

6. Trabalhe forte no começo
Por Heidi Burkhart, presidente do Dane Professional Consulting Group
“Aos 21 anos, entrei no mercado imobiliário. Nos meus primeiros anos, trabalhei à exaustão, trabalhando 24 horas por dia e economizando o máximo que podia. Depois disso, as coisas foram melhorando. E, eventualmente, alcancei uma saúde financeira e consegui ganhar um bom dinheiro. Credito tudo isso ao esforço do começo da minha empreitada.”

7. Não se preocupe tanto
Por Zach Halmstad, cofundador da JAMF Software
“Meu conselho é que você foque no que você quer ser e não pense no que pode dar errado no meio do caminho. Quase todos os prognósticos catastróficos que temos nunca acontecem. Não se preocupe tanto.”

Pesquisar

Custom Search
seo-evolutiva-comunicacao

Como garantir a visibilidade do seu site nos mecanismos de busca

Com milhares sites disponíveis na internet, ser encontrado pelos usuários ganha muita importância. Entender a forma como os mecanismos de busca trabalham e estar sempre atualizado sobre as mudanças que ocorrem são questões fundamentais para que o seu visitante encontre o conteúdo que você produz.

Para sair na frente nesse quesito, investir na otimização do seu site para mecanismos de busca é fundamental. Para começar, que tal entender o que é SEO e como funcionam os mecanismos de busca?

O que é SEO?

SEO (Search Engine Optimization) ou simplesmente otimização para mecanismos de busca é o conjunto de estratégias que você usa para aumentar o número de visitas em seu site através dos mecanismos de buscas como Google, Bing, Yahoo, entre outros.

Otimizar um site é um desafio que requer descobrir como os mecanismos de busca identificam as páginas relevantes para uma determinada busca, e realizar algumas ações com base nessas descobertas.

O objetivo dessas ações é trazer tráfego orgânico para seu site ou blog, assim como ficar entre os primeiros lugares no ranking do Google na pesquisa de uma determinada palavra-chave, aumenta a credibilidade do seu site entre os usuários e com o Google também.

Simplificando: SEO refere-se às estratégias de ação para que o seu site apareça nas primeiras colocações dos resultados de busca.

 

Como funcionam os mecanismos de busca?

Crawlers, como o Googlebot, são robôs de rastreamento da web. Eles rastreiam todos os sites e blogs na internet e neste processo, novas páginas são descobertas e incluídas no índice do Google. Após esse mapeamento, toda informação fica armazenada em uma grande base de dados.

Quando alguém faz uma pesquisa no Google, o mecanismo de busca lê e compara os elementos textuais com todas as informações já existente no banco de dados. E é essa a importância do SEO, pois os buscadores filtram os dados e apresentam ao usuário em uma ordem de relevância.

Cada buscador possui seus critérios. O Google, por exemplo, considera o tempo de existência do site e outros 200 fatores. Veja alguns deles neste link do próprio Google:

  • Usar a palavra-chave no conteúdo, título e subtítulo;
  • Velocidade de carregamento da página;
  • Frequência de atualizações no site;
  • Links externos e internos;
  • Qualidade do conteúdo.

Pesquisar

Custom Search
x-ferramentas-para-ajudar-a-melhorar-a-velocidade-do-seu-site2100

O que você precisa saber sobre a velocidade do seu site

Para começar a publicação de hoje, vamos nos atentar a alguns fatos.

  • Mais de metade dos internautas esperam em torno de dois segundos para que um site carregue.
  • O Google adicionou, em 2010, o quesito velocidade como parâmetro no ranking de seu mecanismo de busca.
  • Para o Google, o ideal é que a página carregue em, no máximo, meio segundo.
  • Estudos apontam que todo e qualquer usuário de Internet pode desistir de uma compra se o site demorar para carregar.

Com essas informações em mente, afirmamos: a velocidade de seu site é importante. Por isso, o Dicas de Hospedagem dedica este espaço para analisar como a velocidade de carregamento de sua página pode estar definindo os rumos de sua presença online.

O que determina a velocidade do site?

Geralmente, as pessoas encaram a velocidade de carregamento de um site de maneira simplista. Basicamente, se as informações carregam rapidamente, todos ficam felizes – e isso não poderia estar mais certo.

Entretanto, existem alguns fatores que podem ajudar ou atrapalhar a velocidade do site. Enquanto muitos pensam se tratar apenas da qualidade do serviço de hospedagem contratado pela empresa, deixamos claro que há muito mais. Se seu site está lento, saiba que um dos responsáveis por isso pode ser você mesmo. Descubra como.

Imagens: imagens grandes demais e com alta resolução podem prejudicar o carregamento do site. Sabemos da importância atribuída ao design e ao multimídia, mas é necessário se certificar de que a resolução da imagem não está ultrapassando as necessidades de seu site. Para a maioria dos casos, imagens com 1000 pixels em 72 dpi são consideradas ideais.

Conteúdos externos: pense bem… você pode se responsabilizar por conteúdos que não estão hospedados em seu próprio site? Sendo assim, é indispensável analisar bem o que será incorporado – e o mesmo serve para páginas de confiança, como o Youtube. Mantenha o tamanho do frame apenas dentro daquilo que é necessário para seu site.

Compatibilidade com browsers e dispositivos: você já viu avisos como “esse site funciona melhor no Firefox”, certo? Não permita-se fazer o mesmo. Por mais que sua página funcione bem no Google Chrome, você será penalizado em SEO se a experiência de navegação não for satisfatória no Internet Explorer, por exemplo. O mesmo para dispositivos móveis, outro parâmetro adotado pelo Google para o posicionamento no ranking dos buscadores.

Propagandas: sabemos que propagandas e ads são sinônimos de rentabilidade na Internet. Entretanto, tome cuidado para não exagerar nos anúncios e deixar seu site lento. Além do código envolvido no banner de divulgação, o próprio objeto em si possui seu design, esquema de cores e peso, artifícios que podem eventualmente prejudicar o carregamento de seu site.

Temas e widgets: se você utiliza algum gerenciador de conteúdo para administrar seu site (como o WordPress), tome cuidado com o tema escolhido. Ele pode deixar sua página lenta por causa da codificação. A mesma situação pode acontecer com widgets… ou você nunca escolheu aquele widget que deixou seu celular lento? O mesmo se aplica a seu site!

Codificação: por trás de qualquer site, estão os códigos – e se seu HTML e CSS estão pesados demais, a velocidade de seu site poderá ser prejudicada.

 

Como descobrir se o Google considera meu site lento?

Muitas vezes, temos a falsa impressão de que nosso site está rápido, quando não está (e o oposto pode acontecer também). Para evitar esse tipo de julgamento errôneo, existem algumas ferramentas que ajudam a determinar a velocidade da página. Vamos conhecê-las?

PageSpeed Insights: desenvolvida pelo Google, essa ferramenta verificará seu site por completo e definirá o que pode estar afetando a velocidade dele. O que precisa ser modificado será destacado, e um índice será atribuído à experiência de navegação de seu site. Pode ser que apareçam alguns itens que precisem ser melhorados, mas se o índice for de 100, significa que o Google considera a velocidade de seu site satisfatória, ou seja, ela não te atrapalhará em SEO.

Google Analytics para WordPress: caso você utilize WordPress, o Google Analytics pode fazer as análises necessárias para determinar a velocidade de seu site e corrigir o que for preciso.

Para uma checagem periódica e mensal, é recomendado também o Google Webmaster Tools.

Caso você precise realizar algumas mudanças para adaptar a velocidade de seu site, pense no seguinte:

– habilitar compressão.
– simplificar CSS, HTML e Javascript.
– reduzir redirecionadores.
– armazenamento de caching.
– melhorar o tempo de resposta do servidor.
– otimizar imagens.
– utilizar uma rede de distribuição de conteúdo.

Pesquisar

Custom Search
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE